Image Alt

Parceiros

Parceiros

O projeto O Meu Palácio! baseia-se numa colaboração formalizada através de protocolo entre a Yellow Cusca – Associação Cultural (promotor oficial do projeto), a Direção Geral do Património Cultural, através do Palácio Nacional da Ajuda, e a Junta de Freguesia da Ajuda.

 

Este projeto, operação com o código LISBOA-06-4740-FSE-000270, foi aprovado pelo Programa Operacional Lisboa 2020, no âmbito do Portugal 2020, com financiamento FSE, dispondo de uma verba de 117.832,84 euros para o período 2021 – 2023, Desenvolvimento de Novas Estratégias Locais de Intervenção Social, Projetos Inovadores e/ou Experimentais na Área Social, Eixo Prioritário: 6. Promover a inclusão social e combater a pobreza e a discriminação, Objetivo Temático: 9. Promover a inclusão social e combater a pobreza e qualquer tipo de discriminação, Prioridade de Investimento: 9.6(9vi) – Estratégias de desenvolvimento local lideradas pelas comunidades, Gal Urbano Rede DLBC Lisboa.

 

Este projeto articula e integra a dinamização cultural e artística promovida na Ajuda pela Cusca, com a experiência educativa e outros recursos do Palácio Nacional da Ajuda e com o trabalho desenvolvido no âmbito da Comissão Social da Freguesia da Ajuda.

YELLOW CUSCA – Cultura e Comunidade

A CUSCA integra o consórcio de parceiros do projecto “O Meu Palácio!” enquanto entidade promotora.

A CUSCA – Cultura e Comunidade é uma associação cultural sem fins lucrativos comprometida com o desenvolvimento comunitário e coesão social e tem o epicentro das suas actividades artísticas na freguesia da Ajuda, Lisboa, e zonas limítrofes.

Através da formação e programação cultural e da prática artística procuramos promover a capacitação de pessoas em risco e em exclusão. Acreditamos que a valorização da identidade através da Arte é uma poderosa ferramenta de inclusão social.

São projectos em implementação pela CUSCA os seguintes: Teatro Comunitário da Ajuda (intergeracional), Coro Comunitário da Ajuda (sénior), Orquestra de Cordas da Ajuda (co-financiado pelo programa PARTIS da Fundação Calouste Gulbenkian), Sub-Coro (coro infantil da Biblioteca de Alcântara), Academias Imaginárias (projecto de educação pela arte na EB1 Manuel Sérgio, co-financiado pelas Academias Gulbenkian do Conhecimento), Mare Liberum (teatro em Centros Educativos com a APORVELA e a DGRSP, co-financiado pelo programa PARTIS da Fundação Calouste Gulbenkian), PodSer (Podcast com jovens a cumprir medida tutelar educativa no Centro Educativo Padre António Oliveira, com a Sapana e o IPDJ), Prometeu (teatro no Estabelecimento Prisional do Linhó com a Sapana e o IPDJ) e “O Meu Palácio!”.

O nosso foco é a democratização do acesso à cultura e à prática artística bem como a criação de novos públicos.

Os nossos principais parceiro no terreno são a Junta de Freguesia da Ajuda, a Fundação Calouste Gulbenkian e a rede de Bibliotecas de Lisboa (particularmente a Biblioteca de Alcântara).

Formalizámos esta nossa vontade de contribuir activamente para que as Artes sejam acessíveis a todos sem as desvirtuar, num equilíbrio permanente entre os contributos limpos de convenções ou conhecimento técnico e o virtuosismo da criação, no início de 2018.

Tornou-se assim este o nosso propósito: encontrar novos caminhos para a efectivação de uma cidadania plena através da cultura.

Junta de Freguesia da Ajuda

A junta de freguesia da Ajuda é uma autarquia local de proximidade com as inerentes funções de uma junta de freguesia, tendo um Plano de Desenvolvimento Integrado para o território da Ajuda no qual se inclui uma dimensão de desenvolvimento da Arte, da Cultura e do Património.

 

Neste projeto, o seu principal contributo, enquanto autarquia local, coloca-se em 3 níveis: articulação e integração de parceiros (trabalho em rede), disponibilização de recursos humanos e logísticos para a realização de diversas atividades na freguesia, mobilização dos recursos de empregabilidade de que dispõe.

A sua participação no projeto garante também o envolvimento da Universidade Sénior da Ajuda, da Casa da Cultura e da Academia da Juventude nas atividades deste projeto.

 

As funções de cooperante neste projecto complementam, enquadram e facilitam todas as relações entre diversos parceiros da freguesia e da cidade. Garante também a proximidade a todas as instituições e a muitos dos grupos informais do território. Tendo uma forte proximidade com a Comunidade, consegue identificar, mobilizar e estabelecer relações construtivas entre os parceiros e os líderes da Comunidade.

Palácio Nacional da Ajuda

O Palácio Nacional da Ajuda é um monumento nacional e museu de referência das Belas-Artes dos séc.XVIII- XIX, enquanto antigo palácio real.

 

O edifício de estilo neoclássico, da primeira metade do séc. XIX, foi residência oficial da família real portuguesa desde o reinado de D. Luís I (1861) até ao final da Monarquia (1910).

 

Aberto ao público, como museu, desde 1968, é o único palácio real visitável na cidade de Lisboa.

Tem a particularidade de manter a disposição e decoração dos aposentos ocupados pela família real, exibindo parte das suas importantes coleções de têxteis, mobiliário, cerâmica, pintura e escultura.

 

O espaço visitável do museu situa-se na ala nascente sul do palácio. Inclui dois pisos: o Piso Térreo, onde estão muitos dos aposentos privados da família real, e o Andar Nobre, onde se realizavam as receções de gala e cerimónias de representação de Estado, desde os tempos da monarquia até aos dias de hoje.

 

Presentemente, este monumento continua a emprestar o seu brilho às cerimónias da Presidência da República.

 

Mas o Palácio Nacional da Ajuda não é apenas a antiga habitação real e museu de belas-artes, é também a sede de outras instituições portuguesas ligadas à cultura.

 

Na ala norte do palácio estão instalados o Ministério da Cultura, a Biblioteca da Ajuda e a Galeria de Pintura do rei D. Luís I.

 

A Biblioteca da Ajuda foi a antiga biblioteca régia e possui um acervo patrimonial de grande importância que se traduz em termos de extensão por 3 quilómetros de prateleiras, com um total de cerca de 150 000 espécies, manuscritas e impressas.

 

A Galeria de Pintura do rei D. Luís I foi criada por este monarca para a apresentação da sua coleção privada de pintura. Atualmente, é um espaço utilizado para exposições temporárias e outras iniciativas, organizadas pelo palácio em articulação com outras entidades.

 

Na ala sul do palácio está instalada a Direção Geral do Património Cultural, organismo dependente do Ministério da Cultura e que tutela os vários museus, monumentos e palácios nacionais, entre os quais se inclui o Palácio Nacional da Ajuda.

 

Na ala poente do palácio, estão a terminar os trabalhos de instalação do novo Museu do Tesouro Real que irá abrir ao público em breve. Numa caixa-forte com 40 metros de comprimento e três pisos de altura, poderão ser apreciados ouro e diamantes do Brasil, moedas e medalhas da Coroa, joias provenientes das antigas coleções particulares de diferentes membros da família real, entre muitos outros objetos com um valor histórico, artístico e cultural incalculável.

 

Venha visitar-nos para ficar a conhecer mais sobre este monumento e a sua história!

 

Consulte aqui o nosso website http://www.palacioajuda.pt/ para obter mais informações sobre condições de visita e programação de iniciativas.

Qual a missão deste projecto?

Precisa de esclarecimentos?

Palácio Nacional da Ajuda
Largo da Ajuda
1349-021 Lisboa

http://www.palacioajuda.gov.pt